ANÁLISESNINTENDONOTICIASPCPLAYSTATIONPS4PS5REVIEWSSWITCHXBOXXBOX ONEXBOX Series X|S

Análise: Hogwarts Legacy é o melhor jogo do universo bruxo de Harry Potter

A escola bruxa de um jeito que você jamais viu

Jogos de Harry Potter não são uma novidade, principalmente se levarmos em conta que na época de seus filmes tínhamos quase que anualmente um jogo novo referente a cada ano letivo do menino bruxo. Apesar disso, essa análise mostra algo bastante incomum dentro do universo de bruxos, pois Hogwarts Legacy não traz o legado de Harry Potter em forma de um RPG com mundo aberto, afinal o seu foco é a escola de bruxaria como um todo. Com a possibilidade de andar, explorar, voar e duelar livremente na saudosa escola, os jogadores podem construir o seu próprio personagem e se aprofundar numa história diferente de todas as outras que foram apresentadas até então. Ficou curioso? Continue lendo o nosso review.

Essa análise de Hogwarts Legacy foi feita graças a um código de PS5 cedido pela Warner Bros. O game se encontra com dublagem em pt-br e estará disponível para PlayStation 5, Xbox Series e PC via Steam no dia 10 de Fevereiro. Já as versões de PlayStation 4 e Xbox One serão lançadas em 4 de Abril. Por fim, a versão de Switch chegará dia 25 de Julho.

Uma história completamente nova

Em Hogwarts Legacy temos a história de um novo aluno de Hogwarts, mas que é diferente do que estamos acostumados, pois ele iniciou a sua jornada como aluno apenas no quinto ano da escola de bruxos. Uma vez que o costume é iniciar desde o primeiro.

Como se não bastasse, durante o percurso para o colégio, a carruagem é atacada por um dragão fazendo com que o protagonista juntamente de seu tutor, professor Fig, se teleportam no último instante para um lugar misterioso. Aqui temos o primeiro vislumbre da saga que está por se iniciar, pois o local está repleto de magia ancestral que é um tipo de magia esquecida há muito tempo pelos bruxos. Com a estranha habilidade de ver rastros dessa magia, o novato de Hogwarts é capaz de guiar o seu tutor e juntos vão parar num portal que os levam diretamente para o banco dos duendes.

Quanto mais a dupla caminha em busca de respostas, mais dúvidas encontram juntamente de um perigo sem igual conhecido por Ranrok, que é um duende extremamente poderoso e está liderando uma revolta contra todos os bruxos. Após diversos problemas, o protagonista juntamente de Fig acabam passando por outro portal que os levam direto para Hogwarts como indicativo que os segredos da magia ancestral se encontram nesta escola.

Análise Hogwarts Legacy

Ter que recuperar 4 anos perdidos, lidar com o ano letivo, descobrir os mistérios da magia ancestral e também ser peça fundamental contra a revolução de Ranrok são apenas alguns dos desafios que o protagonista terá que lidar durante o seu primeiro ano como estudante bruxo. Felizmente ele não está sozinho, pois diversos personagens carismáticos vão estar o ajudando nesta jornada.

Hogwarts Legacy consegue se destacar em sua narrativa, fazendo um ótimo proveito do que conhecemos em Harry Potter, mas sem depender de personagens da saga tradicional, pois se passa em meados de 1800. Dito isso, aqui temos uma mitologia própria que aproveita o enredo do mundo bruxo em si e não de “Harry Potter”, ainda mais que há famílias que conhecemos como Weasley e Black.

Análise Hogwarts Legacy

Seu personagem, suas regras

A customização de seu bruxo ou bruxa é sensacional, pois além de abranger diversas opções para que ele tenha o estilo e caracterização que você desejar, o jogo não se limita em questões de gênero fazendo com que você possa escolher qualquer tipo de cabelo, aparência, voz e até selecionar o dormitório do qual se sente mais confortável como o masculino ou o feminino.

Além disso, durante a seleção do chapéu você poderá passar pelas tradicionais perguntas ou aproveitar o seu resultado do site Wizarding World para que o chapéu diga qual será a sua casa. Obviamente, se não gostou do resultado poderá escolher uma das outras três casas.

A conexão com o Wizarding World não é apenas para a seleção da casa, uma vez que você pode aproveitá-lo na hora de escolher a sua varinha, sendo a mesma que você conquistou no site. Se quiser outro resultado, poderá mudar na hora da seleção. Há algumas reclamações na internet sobre não poder trocar de varinha durante o jogo, porém, se seguirmos a história do mundo bruxo isso acaba sendo tradicional, afinal existe uma enorme ligação entre o bruxo e a sua varinha e poder a substituí-la tão facilmente seria totalmente contra a mitologia deste universo.

Durante o jogo há diversos momentos em que você poderá responder questionamentos e isso vai moldando a personalidade de seu personagem, ao mesmo tempo em que pode criar melhores conexões com os NPCs do jogo.

Não apenas os animais, mas o mundo todo é fantástico

Desde o primeiro momento Hogwarts encanta todo e qualquer jogador, trazendo diversos vislumbres de magia, como os quadros com pessoas se movimentando, escadas mudando de direção, alunos treinando magia nos corredores, os professores passeando quando não estão dando aula e diversos animais fantásticos em plena flora.

Não é apenas na escola que teremos a chance de explorar, mas também aldeias próximas como Hogsmeade que é praticamente uma versão menor do famigerado Beco Diagonal. Também temos explorações em florestas abertas e também na temível Floresta Proibida onde supostamente nenhum pode entrar, mas sabemos muito bem que você vai quebrar essa regra.

Os cenários estão longe de serem repetitivos, fazendo com que a exploração sempre mostre algo extremamente gratificante e, além disso, há diversas passagens secretas onde você menos espera. Por exemplo, encontrei a cozinha de Hogwarts ao fazer cócegas na pera de um quadro.

Você também conta com a Sala Precisa, que é onde poderá colocar seus estudos em dia, fazer poções, cuidar de plantas, desvendar itens secretos e muito mais. Ela é como se fosse a sua base, na qual pode modificar livremente e construir móveis ou outros aparelhos para auxiliá-lo.

Magias não são apenas para o combate

A sua exploração vai ficando cada vez mais rica de acordo com as magias que libera, podendo fazer bom uso deles para alcançar lugares que antes era incapaz ou abrir passagens ao empurrar ou queimar algum obstáculo.

Mas apesar de ter esse uso, elas também servem para o combate, fazendo com que você possa combinar de várias formas os teus feitiços para derrotar criaturas perigosas, duendes agressivos ou bruxos das trevas. Além disso, também há duelos bruxos dentro da escola (que deveriam ser proibidos, mas alunos não cumprem regras). Apesar de você ter uma magia básica que é disparada ao apertar R2, também tem em seu arsenal magias de levitação para paralisar os seus inimigos, magia de fogo, uma que serve para empurrar e outra para puxar, as temíveis maldições e muito mais.

De começo pode até ser um pouco complicado, mas em pouco tempo acaba pegando o jeito e criando suas próprias combinações. Além disso, também temos a magia ancestral que permite o protagonista se aproveitar de objetos do cenário para lançá-los contra inimigos ou executar um poderoso feitiço de efeito aleatório, uma vez que ele ainda é incapaz de controlar totalmente essa forma ancestral de poder.

Muitas coisas para você fazer durante o seu ano letivo

Além das missões principais, o jogo traz consigo diversas missões secundárias que são muito bem aprofundadas ao trazer personagens carismáticos que te deixam cada vez mais a fim de saber a continuação da história destes. Por exemplo, o sonserino Sebastian Sallow que já está acostumado a entrar em encrencas e a Zenobia Prewett que é uma corvina que ama jogar bexigas.

O jogo também conta com a possibilidade de explorar os céus com a sua vassoura e bater recordes em percursos pré-definidos, apesar do quadribol não estar fazendo parte do uso da vassoura. No próprio jogo é explicado o motivo, uma vez que o diretor Black comenta que não terão neste ano por conta de um acontecimento ocorrido no ano anterior.

Durante a análise, pude notar que Hogwarts Legacy traz um mapeamento de botões bastante próprio, então é comum que durante as primeiras horas seja necessário se acostumar. E isso, claramente, inclui o sistema de pilotar a sua vassoura. Apesar dessa observação, é bastante funcional e divertido ser capaz de voar livremente em áreas abertas, aproveitando os céus para chegar mais rápido em certos destinos dos quais não temos fast travel ou são inéditos em nossa aventura.

Análise Hogwarts Legacy

Durante a história também temos aulas dos professores e isso se torna uma experiência ainda mais aprofundada, pois além de aprendermos novos feitiços também temos momentos muito singulares, pois nenhuma aula é familiar a outra. Todavia, esse é o principal momento que o jogo nos ensina suas mecânicas como a aula de poções ou herbologia que são importantes no decorrer da sua aventura, uma vez que a primeira te ensina a fazer poções que vão auxiliar no combate e a outra permitirá cultivar plantas agressivas para combater seus inimigos junto de você.

Provavelmente a única atividade a mais que possa parecer maçante será desbloquear cadeados espalhados pelo mapa e os diversos colecionáveis, apesar da maioria estar bastante exposta, há colecionáveis que só estão disponíveis durante a noite. Apesar dos cadeados serem fáceis de solucionar, o jogo não se mostra didático em relação a eles fazendo com que a primeira vez obrigue o jogador a quebrar a cabeça tentando entender.

Por fim, o jogo também possui inúmeros puzzles que vão te entreter como os desafios de Merlins que nunca se repetem e são necessários para que você possa carregar mais equipamentos em seu inventário.

Você não é o Ash, mas vai querer capturar todos

Um dos sistemas mais divertidos do jogo é, sem dúvidas, capturar criaturas fantásticas. Temos ao nosso dispor uma bolsa mágica que suga animais para dentro dela, pois essa é uma forma de protegê-los dos caçadores. Em meio da sua exploração você verá os mais diversos tipos de seres mágicos como unicórnios, grifos e vários outros, permitindo que você os capture e depois cuide deles dando comida ou os escovando.

Tem alguns que são mais fáceis de capturar, enquanto outros se mostrarão mais difíceis forçando o jogador a utilizar alguma magia específica para imobilizar de maneira não agressiva. E, só então, será capaz de capturá-lo.

E ao capturá-los e cuidar deles, você poderá receber algumas recompensas assim como é um dos meios para conseguir dinheiro no jogo.

Análise Hogwarts Legacy

Gráficos e áudio

Os gráficos de Hogwarts Legacy são simplesmente deslumbrantes, seja pelos seus personagens ou pelo cenário que é completamente imersivo. Vemos um cuidado na construção de cada personagem, da mesma forma que esse cuidado se repete na modelagem visual do jogo como um todo.

Se há alguma crítica visual que posso fazer se trata no momento em que estamos conversando com alguém e o jogo traz um desfoque ao cenário, querendo deixar nitidamente focado a dupla que está dialogando. A ideia é funcional, porém, pegaram um pouco pesado com o desfoque a ponto de deixá-lo muito artificial em alguns momentos. Além disso, em certo ponto da floresta proibida houve alguns pop-ups de textura.

Em questão de áudio, não há nenhum defeito. Pois a qualidade está absurdamente positiva com os seus sons ambiente, trilha sonora que remete ao que conhecemos de Harry Potter, sons das magias são leais aos do filme, o som de animais vem diretamente do Dual Sense trazendo uma pegada 3D e, claro, a dublagem está espetacular.

Hogwarts Legacy conta com três modos de gráficos que são qualidade, desempenho e ray tracing. No modo qualidade podemos jogar em 4K, enquanto o desempenho foca no 60FPS e, por fim, o ray tracing traz o famigerado efeito à jogatina. Em todos os modos há um limitador de FPS que pode ser desligado, fazendo com que o console tente rodar o máximo possível em cada um dos seus determinados modos, porém, isso traz uma variação constante.

Análise Hogwarts Legacy

Conclusão da Análise de Hogwarts Legacy

Concluindo essa análise de Hogwarts Legacy, temos aqui um jogo simplesmente inacreditável que traz o melhor do mundo bruxo sem depender da mitologia que vimos em Harry Potter. Hogwarts e todos os cenários são muito vivos e interativos, sempre trazendo um toque de magia que vai deixar a sua aventura cada vez mais maravilhosa. O jogo pode ser consideravelmente longo, mas está longe de ser equivalente a outros RPGs que beiram o “interminável” e, além disso, vemos um cuidado por parte do estúdio em produzir missões secundárias que realmente agreguem valor à narrativa. Por fim, o sistema de combate é bastante divertido, enquanto as outras mecânicas conseguem te entreter sem se tornarem enjoativas. Há alguns defeitos como citamos, mas ainda assim não tira o brilho deste jogo.

Termino essa análise dizendo que Hogwarts Legacy é definitivamente a melhor experiência do mundo bruxo em jogo.

Análise Hogwarts Legacy

A análise de Hogwarts Legacy segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Hogwarts Legacy é a experiência definitiva do mundo bruxo

Visual, ambientação e gráficos - 10
Jogabilidade - 10
Diversão - 10
Áudio e trilha-sonora - 10
Narrativa - 10

10

Perfeito

Hogwarts Legacy é um RPG fantástico que traz um mundo bruxo extremamente vivo e imersivo, fazendo com que o jogador se sinta livre para explorar como bem entender.

User Rating: Be the first one !

Anderson Mussulino

Publicitário louco por toda a cultura geek. Redator do Última Ficha e apaixonado por jogos que vem da terra do sol nascente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo